Roberto Camilotti, blog de literatura

16 de julho de 2018

POESIA: Na Frieza Com Que Me Olha...

poesias sobre a frieza e o sentimento, poesias sobre o olhar

Na frieza com que me olha
percebo e sinto uma frágil emoção,
uma insegurança insistente que não se controla,
vejo o empedernido destempero, crescente receio,
a incapacidade, a impotência, o medo de agir.

Na frieza com que me olha, vejo você.
Percebo e sinto o teu medo de si,
sua própria vida, reprimida, indo embora,
desaparecendo, morrendo antes mesmo de partir,
o espelho mostrando o lado feio da alma,
humanidade morta, o fracasso de quem já caiu.

9 de julho de 2018

POESIA: Tenho Fé.

poesias sobre a fé, poesias com o tema da fé, poesia tema fé

Tenho fé porque estou vivo.
Vida que se vive na fé e nas marés.
Tenho fé, sei que estou vivo.
E, se estou vivo, apenas vivo e não apego.
Tenho fé na reunião, sem os ouros da vida.
Fé na vida, pleno, fé de quem sabe o que quer.

Tenho fé, um sentimento de exercícios.
Fé porque é da fé que se vive a fé.
Tenho fé, aprendi a ser tranquilo, mais pacífico.
Às adversidades, desacelero e espero.
Tenho fé, fé de que não controlo a vida.
Em tudo e em todos, seja o que Deus quiser.

Tenho fé, logo respiro e inspiro.
Fé pela fé, hoje e amanhã terei fé.
Acredito, a perfeição não existe.
Misterioso, o mundo é o que é.
Tenho fé, me preencho e então me sinto.
A vida só faz sentido sendo o que se é.

18 de junho de 2018

POESIA: Em Um Segundo, o Mundo.

poesia sobre a brevidade da vida, poesias existenciais, poesias tema mundo

Breve,
em um segundo.
Faz sentido quanto mundo
o momento presente.

O breve segundo,
o momento profundo,
o segundo no mundo,
as realidades diferentes.

Um segundo entre assuntos,
esse velho novo mundo,
que entre tantos mundos,
persiste as verdades dos momentos.

5 de junho de 2018

POESIA: O Que os Olhos Não Veem


O que os olhos não veem
não pesa na consciência,
não pode ser definido, auto convencido,
considerado como o que não compensa.

O que os olhos não veem,
não existe, nunca existiu,
não é fato, tampouco promessa,
é um vazio dentro da inconsciência.

29 de maio de 2018

POESIA: Fazendo o Bem...

poesias sobre a bondade, poesias tema solidariedade

Fazendo o bem para quem dele precisa
é fazer sem olhar a quem;
multiplicar, repercutir a vida,
o bem se reinventa, produz outros bens.

Fazer o bem sempre,
na chegada e na partida;
o bem pelo próprio bem,
e abundantemente de bem
enquanto iniciativa!

21 de maio de 2018

POESIA: O Grande Momento na Vida.

poesias sobre a beleza e a importância da vida

O grande momento que temos na vida,
a felicidade nas pequenas coisas,
não enche a sua e nem a minha gaveta,
não pode ser achado em quaisquer guarda-roupas;
é o que perdura e o que ecoa feito boa lembrança na memória,
é aquele momento raro, assim infinito;
é o todo dos grandes momentos da vida, dos que a fazem valer a pena,
é tocar a música certa para cada indivíduo, para cada coração,
é saber quando chegar, como e por onde entrar em outra vida,
é reconhecer o direito dos que se vão, o valor também na partida,
é saber-se o mais pleno possível, íntegro consigo,
é falar e fazer só o que realmente importa, relaxar,
é levantar morada para quem fica, semear a gratidão.

[O grande momento que temos na vida é a própria vida: incoerente, imperfeita, misteriosa, rica, bonita; vêm de entender que tudo tem o seu tempo, mesmo quando incompreensível for a sua razão. A vida não se explica, acontece!]

14 de maio de 2018

POESIA: Vedes o verde!


Vedes o verde!
Vedes o ainda verde!
O verde entre verdes invadindo a sua janela.
O verde, verde verde,
o verde da floresta.

Vedes o verde!
Vedes o que ainda se põem feito verde!
Ele reflete a cor da vida, limpa a sua família.
O verde, verde verde,
um verde de flores e de citronela.

Vedes, aquele antigo verde?
Me diga por favor se ainda o vedes, já não tão verde!
Não vejo mais partes verdes em parte alguma.
O verde, verde verde,
poluído pelas ternos sobre as terras.

7 de maio de 2018

Avicii e Um Sentimento Parecido Com o Luto

logo do nome Avicii, Tim Bergling


Bom dia, pessoal, a postagem de hoje no blog será um pouco diferente do que costumam ver por aqui. Quero compartilhar com vocês um sentimento parecido com o luto - mas que não é! - e que não sei ao certo definir. Talvez o que sinto seja uma admiração pelo talento de alguém que só descobri sua existência porquê acabou se matando, misturada com o pesar do, aos meus olhos, incompreensível acontecimento, mas esse mesmo sentimento só se intensificou nessas últimas semanas. Fizeram um documentário sobre a curta carreira dele que ainda não vi e que certamente verei e que farei uma resenha aqui.

A pessoa a quem me refiro não é nada mais nada menos do que o DJ sueco Avicii, encontrado morto aos 28 anos, no último dia 20 de abril, em um hotel de Mascate, capital de Omã. Soube de sua morte pelo twitter e, curioso em saber de quem se tratava, dei um google do seu nome e foi então que me surpreendi ao descobrir, além de alguns detalhes de sua vida e de sua breve mas não menos genial obra, que já cantarolava suas músicas mesmo sem saber que eram deles. Descobri também que seu nome verdadeiro era Tim Bergling e desde então senti uma empatia por ele como se fosse um irmão que nunca tive. Era apenas 3 anos mais velho do que eu e, acredito, tão sonhador quanto eu.

selfie do dj Avicii


Até agora não consigo acreditar que um jovem de 28 anos com todo o sucesso do mundo tenha desistido da vida embora também tenha consciência de que talvez a vida, muito antes do ato final de Avicii para com ela, também houvesse desistido dele. Já conhecedor de que sua família, em uma carta aos fãs, sugeriu de que Avicii tivesse se matado ao "procurar a paz", no dia de ontem, li no site El País que Avicii se matou cortando-se no pescoço e nos pulsos com cacos de uma garrafa de vidro. Ele tinha problemas com o álcool e de saúde em decorrencia de seu vício, o que, em parte, explica a sua morte, porém, apenas em parte pois nem isso é capaz de me fazer entender tamanho desespero no qual passa uma pessoa para por fim à própria vida desse jeito. Não o julgo, não o chamo de covarde mas também não o compreendo, eu confesso isso. Que Deus o tenha, pois Ele certamente o compreende!

Bom, é isso o que sinto. Além disso, não passa de bla-bla-blá. Abaixo, uma amostra do seu grandioso trabalho com 10 clipes de suas melhores músicas para entenderem o tamanho dessa perda. Viciei nessas músicas e as ouço praticamente o dia inteiro desde então. Duvido muito que já não tenham ouvido algumas delas, mesmo que, assim como eu, nunca desconfiassem que eram dele. Deem um PLAY em todas e garanto que não irão se arrepender com o som!

1. Levels



2. Wake Me Up



3. Hey Brother



4. Waiting For Love



5. The Nights



6. I Could Be The One



7. Addicted To You



8. You Make Me



9. Lay Me Down



10. Silhouettes



Demais, não?!
Me sigam nas redes sociais que estão no topo da página e vamos prozear mais sobre essa lenda da música chamada Avicii!! #AviciiRIP


4 de maio de 2018

Fome de Poesia | BLOG: #Videopoesia0129 - Cais

Fome de Poesia | BLOG: #Videopoesia0129 - Cais

Fome de Poesia | BLOG: #Videopoesia0128 - Hay Un Niño En La Calle

Fome de Poesia | BLOG: #Videopoesia0128 - Hay Un Niño En La Calle