Velislava, a Raposa de Fogo (Parte 01).


De mãos dadas, as duas amigas foram se afastando do acampamento na medida em que o procuravam por uma trilha de terra.

“Aonde será que ele foi?” - perguntou-se, Julia, em voz alta.

Ao mesmo tempo que, atentamente, observava em volta, Julia também olhava para Klara, que se mostrava igualmente preocupada. Boris desaparecera de repente, silenciosamente, e com todo o mistério.

“Tem alguma coisa se mexendo ali.” - indicou, Klara, um ponto específico na mata.

Julia voltou as atenções na direção que a amiga apontou e logo foi surpreendida. O verde da mata se acendeu e uma raposa em chamas, majestosamente, saltou na frente delas como uma fera de fogo.

“É a minha mamãe, Velislava!” - exclamou, aliviada, ao ver que se tratava da raposa.

Porém, Klara não sentiu a mesma tranquilidade. Apavorada, ela correu para trás da amiga e suplicou à fera:

“Por favor, vai embora!”

“Ela é a minha mamãe.” - disse, Julia, tentando tranquilizá-la. - “Não vai te fazer mal.”

“Sua mamãe?”

“Sim.” - Julia garantiu. Ela deu as costas à raposa e, colocando-se de frente para a amiga, perguntou. - “Não se lembra de quando eu disse que a minha mamãe se chamava Velislava?”

“Sim, mas você não disse que a sua mamãe era uma raposa.” - respondeu, Klara. Mesmo com tamanha tranquilidade, o pavor de Klara só se fazia aumentar. Velislava, por sua vez, pareceu antever o medo que provocaria na pequena búlgara, pois, após saltar da mata, ficou parada na frente de Julia.

“E o que há de mau em ser uma raposa?” - Julia perguntou, ligeiramente ofendida com a resposta de Klara. - “É a primeira vez que você vê uma raposa de fogo?”

Klara balançou a cabeça, respondendo que sim. Nunca tinha visto uma raposa comum, quiçá uma igual a Velislava, que expelia fogo dos pelos.


CONTINUE ACOMPANHANDO A HISTÓRIA NAS PRÓXIMAS POSTAGENS.

Comentários

  1. A características da raposa me lembra muito a nossa cultura em volta do folclore brasileiro, por ter essa temática rodeada de animais com poderes sobrenaturais, achei bastante interessante e com certeza acompanharei aos próximos capítulos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosa, fico feliz que tenha gostado. Sobre o folclore, apesar da história se passar na Bulgária, certamente alguma inspiração eu tive. É muito rico realmente.

      Boa leitura, continue acompanhando.

      Excluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!