Banquete Cigano: Primeira Parte do Capítulo.


Seria mais uma das incontáveis montanhas da Bulgária, sem nada em especial, senão fosse por uma particularidade: anjos ciganos viviam por ali, em um acampamento.

A vegetação se estreitava conforme Pedro, o muflão, marchava montanha acima.

“A gente chegou?” - perguntou, Klara, olhando em volta.

“Acho que não.” - Julia respondeu.

Em um certo momento, Julia e Klara, que pareciam estar hipnotizadas pela singularidade da paisagem, se intrigaram ao ver Boris parar e, mais uma vez, começar a latir, eufórico.

“O que foi agora, Boris?” - quis saber, Julia, que, irritada, repreendeu o cão. - “Comporte-se, seu malvado!”

Klara olhou na direção que ele latia e viu um anjo pousar entre as árvores, onde as vigiou do meio da mata.

“Um anjo!” - a pequena exclamou.

“Onde ele está?” - perguntou, Julia, que não conseguia vê-lo.

“Ali, perto da árvore.” - respondeu, Klara, apontando-o mais à frente.

Julia ficou eufórica ao ver o anjo olhando diretamente para ela e disse, excitada:

“Então, anjo existe!”

A menina de Gabrovo, por sua vez, não conseguiu esconder sua surpresa com a reação da amiga.

“É a primeira vez que você vê um anjo?” - perguntou, Klara.

Até mesmo ela já havia visto anjo. - “Sabia que eu já vi um anjo.” - revelou à amiga.

“Eu também já vi um anjo.” - respondeu, Julia, contando sobre a visão. - “Mas faz muito tempo e eu quase não me lembro como foi. Eu estava no meu quarto, brincando com as minhas bonecas, quando ouvi um homem me chamar na janela.”

Nesse momento, enquanto Julia contava sobre a visão, o anjo que vigiava as meninas escancarou suas asas e levantou voo.

“O que ele queria?” - a pequena perguntou, curiosa.

“Quando eu corri para a janela, para ver quem me chamava, foi o momento que eu vi que não era um homem.” - contou, Julia, lembrando-se de cada detalhe. - “Era um anjo. Ele era alto, tinha cabelos escuros e queria me dizer alguma coisa, mas não deu tempo. Depois que eu vi ele na janela, a minha cabeça começou a doer muito forte e eu não me lembro de mais nada.”

“Por que?” - Klara se mostrou intrigada. - “O que aconteceu?”

“Eu não sei. Não consigo me lembrar o que houve.” - a voz de Julia soava com certa agonia. - “Só me lembro que senti muita dor na cabeça.”

“Dor na cabeça?” - ao ouvir a amiga, Klara se segurou firme em Pedro para não cair de cima dele. - “Você estava doente?” - perguntou.

“Eu não sei.” - Julia respondeu. - “Eu só me lembro disso.”

Mesmo ansiosa para saber mais sobre a visão, Klara ficou receosa em relação aonde o muflão as levava e mudou de assunto, ao perguntar:

“Aonde o Pedro está levando a gente?”

“Não sei.” - a menina ruiva respondeu. - “Você está com medo?” - perguntou.

“Um pouco.” - confessou, Klara.

“Não precisa ter medo.” - Julia a tranquilizou, referindo-se aos anjos. - “Eles não podem ser malvados.”

“Por que?” - quis saber, Klara.

“Porque eles são anjos e não existe anjo malvado.” - respondeu, Julia.


CONTINUE ACOMPANHANDO A HISTÓRIA NAS PRÓXIMAS POSTAGENS.

Comentários

  1. Vou acompanhar os outros capítulos para ver o que vai acontecer. Para onde elas estão indo, porque Julia não se lembra de tudo? Será que todos os anjos são bons? Estou curiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andy, são muitas perguntas para importantes respostas, rs.

      Siga acompanhando.

      Excluir
  2. " “Porque eles são anjos e não existe anjo malvado.” - respondeu, Julia."

    Se essa nota devia soar macabra, ao invés de tranquilizadora, você fez um excelente trabalho, ROb.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, brother, sempre presente, sempre relevante, rs.

      Abraço e volte sempre!

      Excluir
  3. Oieee
    Nossa é a primeira vez que vejo uma história envolvendo anjos ciganos e estou curiosa para saber pq uma delas não lembra direito desse contato anterior com um deles.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Michelle, pelo prestígio de tua leitura.

      Volte e talvez encontre a resposta, kkk

      Excluir
  4. O que me chamou atenção, foi: "porque eles sao anjos e não existe anjo malvado." Será que não? Vou ler os próximos capítulos! Gostei bastante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suellen, nessa história não existe anjo malvado, rs.

      Legal que gostou. Será bem-vinda ao retornar.

      Excluir
  5. “Porque eles são anjos e não existe anjo malvado.” kkkk

    Eu li isso e fiquei tipo: Han? O que Camilotti está aprontando kkkk

    É uma bela história e gosto de ver as peripécias do Boris, será o nome do meu próximo cachorro rs. Gostei bastante, já vou ler os demais capítulos disponibilizados, parabéns pela escrita impecável mais uma vez mano!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Frank, continue acompanhando a história!

      Valeu pela visita!

      Excluir
  6. Já quero os próximos capítulos. Quisera eu escrever assim kk
    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Gabrielzinho, valeu pelo elogio e pela visita!

      Volte sempre!

      Excluir
  7. Não acompanhei o resto da história, mas pelo que li, fiquei cheia de vontade de ler mais, amo histórias que envolvem anjo e a frase “Porque eles são anjos e não existe anjo malvado" me deixou bem reflexiva. Será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Ge.

      Bom saber disso, kkk

      Abraço angélico p/ ti!

      Excluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!