Banquete Cigano: Segunda Parte do Capítulo.


Klara sorriu timidamente, concordando plenamente com a resposta.

Enfim chegaram no topo da montanha, lugar onde estava instalado um acampamento cigano. Ao contrário do que imaginavam encontrar, não viram mata fechada, se depararam apenas com um ajuntamento de tendas brancas. A claridade do Sol penetrava entre os galhos das árvores, que ficavam ao redor do acampamento, iluminando as tendas.

“Quem estão procurando, meninas?” - perguntou, um dos anjos, ao sair de sua tenda e ver as duas meninas montadas no muflão, observando, impressionadas, o acampamento.

“A gente não está procurando ninguém.” - respondeu, Julia, impressionada com a aproximação do anjo. Disse. - “Foi Pedro que trouxe a gente até aqui.”

Desconfiado, Boris chegou perto do anjo cigano e começou a farejar seus pés descalços.

“Pedro?” - perguntou, o anjo, que não enxergava nenhuma outra pessoa por perto além das meninas. - “Quem é Pedro?” - emendou, antes de ajudá-las a descerem das costas do muflão.

“Pedro é o nome que a gente deu para ele.” - respondeu, Julia, indicando o muflão. A menina ruiva perguntou. - “Onde a gente está?”

“Vocês estão no nosso acampamento.” - o anjo descalço respondeu.

No momento seguinte, em mais uma de suas travessuras, o cão pastor levantou a pata traseira e ameaçou urinar nos pés do anjo.

“Não pense em fazer isso, seu malvado!” - Julia o advertiu.

Boris latiu em protesto, mas a obedeceu, afastando-se do anjo cigano.

“Meu nome é Milosh.” - cerimonioso, o anjo cigano, então, se apresentou às meninas. - Sejam bem-vindas ao nosso acampamento.

“Obrigada.” - agradeceu, Julia.

Ela olhou para o lado e notou que Klara não parava de olhar para as asas brancas do anjo.

“Como se chamam?” - perguntou, Milosh.

“Meu nome é Julia e essa é minha amiga, Klara.” - respondeu, a menina ruiva. - “Ela se perdeu da sua vovó.” - revelou.

Preocupado, o anjo voltou as atenções à pequena.

“Está perdida?”

“Estou.” - respondeu, Klara, dizendo. - “Minha vovó chama Yordanka. Ela perguntou o que eu mais gostava de comer. Eu respondi que era tomate e ela, então, me levou para o tomateiro. Mas, quando percebi, já havia sumido e me deixado sozinha.”

Mesmo que discretamente e sem deixar transparecer, Milosh a olhou com profundo pesar. - “Mais uma pobre menina abandonada à própria sorte.” - pensou.

Preocupando-se em ajudá-la, perguntou:

“E a sua mamãe, onde ela está?”

“Eu não sei.” - respondeu, Klara, que o encarou com tristeza.

Milosh se mostrou cada vez mais disposto em ajudar a menina a reencontrar sua família.

“Não se preocupe, vamos encontrá-la.”

Amoroso, o anjo passou a mão na testa da menina, confortando-a, e, de repente, ouviu-se uma voz amavelmente feminina:

“Suas novas amigas devem estar com muita fome.” - colocando-se ao lado do anjo, ela perguntou. - “Estão com fome, meninas?”


CONTINUE ACOMPANHANDO A HISTÓRIA NAS PRÓXIMAS POSTAGENS.

Comentários

  1. Ola Roberto, já estou interessada em saber a continuação dessa historia e quem é essa voz feminina que se colocou ao lado do anjo! Gosto bastante de historias que envolvem anjos ou coisas parecidas e com certeza já quero ler mais.
    Estou adorando a forma como você escreve, parabéns!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renally, obrigado por teu comentário.

      Que bom que gostou!

      Convidada a continuar acompanhando a história.

      Excluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!