POESIA: Invenção da Saudade por Outros Nomes.


A Saudade, fina névoa,
contagiosa pelo sangue.
Onde crescem os sentimentos.
A que envenena os futuros,
por todo o sempre, o antes!

Fina névoa aos companheiros,
põe amigos a toda prova.
Complicadas desse jeito:
a Saudade, pequeno mau atroz!

Cicatriza mas não tem cura,
nunca serve a quem a sente.
Saudade essa dos que padecem,
veneno doce, o medo de frente!

Da mais simples à opulência,
sentimento triste, adentra moradas,
faz-se mais rude nos soldados,
batalha insana, o pior das guerras?
É farda de nuvem! Fígado. Barrigada.

Um sussurro fino, moribundo,
saudade, aquilo que se inventa.
Sejam amigos, sejam amantes,
de gestos nobres e elegantes,
delírio humano, humanidade atenta?

Dos sentidos e sentimentos,
o saudosista é costumeiro.
Cresce, cresce, incomoda,
iguala vítimas ao prisioneiro!

Castidade nua, S de sal:
invenção ingênua do Tempo.
Saudade: fé com Carnaval?
Saudade com S de sentimento.

Nos meninos, paixão no homem,
nas meninas, mulher intensa.
Todos os nomes da Saudade,
dá-se o amor em recompensa.

Mais que uma falta por outros nomes,
pouco em pouco, tecendo teias.
De gente fina e de gente pobre,
de fato lógico e de fato nobre,
dos bem-nascidos e dos sem cobre,
seria, a Saudade, santo capricho de Deus?

Comentários

  1. Olá! Essa foi forte, me tocou, talvez porque ando demasiado saudosista. É saudade dos outros, saudade daquilo que erámos, enfim... Como é que essa palavra pode existir apenas na língua portuguesa?
    Muito bom ;) Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, pois é. Somos todos então dado os tempos amargos atuais, hehe.

      A palavras pode só existir na língua mas o sentimento certamente é universal.

      Abraço.

      Excluir
  2. Gostei muito. Fiquei saudosista com suas palavras.
    Gostei demais dessa frase "Cicatriza mas não tem cura". Exatamente assim.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Fernanda, siga acompanhando o blog!

      Excluir
  3. Poema lindo! Saudades da infância, saudades da minha avó, saudades de não ter que me preocupar tanto! Excelente como sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita e pelo comentário!

      Volte sempre!

      Excluir
  4. Olá!
    Que poesia linda e profunda!
    Viajei por estes lindos versos e senti saudades.
    O verso "cicatriza mas não tem cura", me tocou.
    Amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Gatinha, que bom que amou!

      Siga acompanhando o blog, abraço!

      Excluir
  5. Que belo poema!! Como você disse, a saudade cicatriza mas não tem cura. Sinto saudades de meus pais, de meu irmão, da minha sogra. Enfim, sinto saudades de pessoas queridas que fizeram parte da minha vida e partiram. Amei! Parabéns!!

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Cidália, se nos serve como conforto, o que é certo é que, se hoje somos saudosos, amanhã, se Deus quiser, sentirão saudades de nós, hehe. A única certeza que temos.

      Siga acompanhando o blog!
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  6. Oi! Gostei bastante da poesia! Me fez percorrer vários pensamentos. Gosto muito dos seus textos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Daniel, feliz que tenha gostado.

      Volte sempre p/ acompanhar as próximas!

      Excluir
  7. Uma poesia poderosa, meu amigo, muito forte. Intensa, tal qual a saudade que a humanidade sente. Uma falta do que aconteceu, uma esperança pelo que virá e a, não tendo outra palavra, saudade do que não aconteceu. Possibilidades, caminhos misteriosos, o futuro incerto... Saudade atravessa o tempo, passado, presente e futuro. Que intenso.
    Ótima poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Lunewalker, fico feliz que tenha gostado.

      Siga acompanhando o blog que mais poesias virão por aqui; abraço!

      Excluir
  8. Oi, Rob... estou passando por uma situação ligada à saudade, a dúvidas e tristeza... sua poesia me tocou bastante. Achei super completa e cheia de sentimentos. Posso dizer que é minha favorita, pois me identifiquei muito. Sou fã!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Suellen, como sempre bastante carinhosa com esse blogueiro que vos tecla, haha; volte sempre!

      Excluir
  9. Capricho sim. Ou não? HAHAHAHA. Saudade é uma coisa tão desnecessária as vezes que a vida toma um certo ruma na nossa vida e diz: "Vou te fazer sofrer rapaz", e essa danada entra na brincadeira. Adorei a poesia porque ela pode mexer com quem lê de uma forma muito íntima e isso que é o bom das poesias. parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Jalysson, feliz mesmo que tenha curtido!

      abraço, velhote!

      Excluir
  10. Oi!
    Adoro esses textos mais profundos.
    Quem é que não sente saudade de alguma coisa ou momento? Acho que isso que faz o texto tocar todos os leitores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Sabrina, a saudade, de todos os males da alma, o mais comum.

      Abraço.

      Excluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!