POESIA: O Coração de Natalina.


Secas e fome.
Sol de Agreste.
Dureza, dureza!
Natalina Fernandez,
a mãe da tristeza!

Um marido covarde.
O Genivaldo que amava.
Feliz? Pelo mundo?
Cigano de estrada!

Barriga vazia e a alma no chão.
Natalina Fernandez não tinha dinheiro mas também não tinha FÍOS.
Graças a Deus!

Sofrida, sofrente.
Um doce de fé!
Sonhava e sonhava:
Misericórdia, meu Deus!

De fibra, silvestre,
sozinha, MUIÉ.
Coragem, coragem!
Aquela que respira fundo, levanta a cabeça e enfrenta mil demônios em pé.

Outono de oitenta,
então, decidiu:
Chega, eu cansei!

PRA SUMPAULO, MIMBORA!
E não é que partiu!

Arara em arara,
em SUMPAULO chegou!
Capital do dinheiro,
a Cidade do Horror.

Cimento e ferro,
os PRÉDIO nas NUVEM.
Natalina não se acovarda.
BATAIA, BATAIA!
É demitida pelas PATROA,
mas não desisti da luta!

Aos setenta e sete, há de resistir até o fim!

Barriga vazia,
nativa do chão.
Natalina, a perfeita!
Repressão de polícia,
pactua com o Cão.

Ao chegar NAS QUEBRADA,
sentou e chorou.
Um cara pergunta:
Por que choras, dona?
Prazer, seu protetor!

TRABAIANDO PROS CARA,
na vida, se fez.
Natalina, valente,
perdeste de vez!

Pobre e bandida.
A alma vendeu.
Menina do agreste.
Pei! Pei! Pei!
PROS TIRA, ajoelhou, levou três PIPOCO na cara e morreu!

Comentários

  1. Oie

    Que talento!! Parabéns!
    Lindo contar a história de Natalina e versos. Triste fim.

    Abraço
    Fernanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Fernanda, triste mesmo, rs... nem eu esperava ter chegado nesse fim, hehe

      Abraço.

      Excluir
  2. Parecia que eu estava lendo um conto huehue me lembroyu faroeste caboclo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pareceu? Vish

      E não é que parece mesmo, hehe

      Excluir
  3. Como assim você não escrevia poesias antes? Que forte e marcante! Que história tão bem contada! Parabéns, Camilotti!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eliziane, não escrevia, pode crer. Mas vontade sempre tive. Não me considero um poeta, rs. A poesia está sendo um feliz achado em minha vida depois desse blog.

      Siga acompanhando o blog!

      Excluir
  4. Muito boa poesia. Gostei de mais. Parabéns Roberto!

    ResponderExcluir
  5. Nossa.... assim, eu acho incrível como voce consegue retratar tao bem as coisas que acontecem no nosso país, em forma de poesia.
    Ficou maravilhoso, mesmo sendo uma triste verdade. Parabéns, sensacional!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Anne, país sofrido de uma gente criativa. Realidade dura mais igualmente bela.

      Abraço. Volte sempre!

      Excluir
  6. Oi Rob! Ainda não conhecia esse seu lado poético, como essa Natalina existe tantas outras no nosso pais não é? Uma pena essa triste realidade que vivemos, linda e impactante sua poesia, adorei.
    Parabéns, sucesso.
    Abraços, Renally

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, feliz que tenha gostado. Realidade triste de fato.

      Obrigado também pela visita.

      Siga acompanhando o blog.

      Excluir
  7. Oii, tudo bem?
    Até pouco tempo atrás eu não gostava de poesia, mas depois que passei a acompanha-la em alguns blogs, estou me apaixonando. E pode ter certeza que O Coração de Natalina entrou para a minha lista de favoritos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Giovana, muito honrado em ter minha poesia como uma das suas favoritas. Valeu mesmo!

      Siga acompanhando o blog que mais virão por aqui!

      Excluir
  8. Olá td bem?
    Adorei a poesia, parabéns você escreve muito bem, sucesso :)
    Descreveu a triste realidade de muitas pessoas na história da natalina...

    bjs
    blog encrespa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Blog Encrespa, feliz que tenha gostado do que escrevi.

      Volte sempre!

      Excluir
  9. Você é um verdadeiro poeta! Escreve muito bem e já era para estar nesse mundo da poesia faz tempo! Obrigada por compartilhar conosco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Suellen, tomei coragem p/ exibir meus sentimentos e divagações, hehe

      Abraço!

      Excluir
  10. Parabéns pela poesia, que dom! Triste e real. Me emocionei com suas palavras. Triste fim.
    Acompanhando o blog daqui em diante.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  11. Que poesia linda, triste, mas linda. Uma guerreira mesmo Natalina, que procurou vários meios para "viver". Parabéns.

    Folha de Pólen

    ResponderExcluir
  12. Caraca, tô impressionada, adorei rapaxx
    Você tem muito talento, pareceu, de uma forma diferente, com Faroeste <3
    beijo beijo
    Neoguedes

    ResponderExcluir
  13. Oxi, que história mais doida huehuehue poesia pura e realista!

    ResponderExcluir
  14. Olá Olá.
    É você que escreve? Se for que talento. Eu nunca gostei de escrever poesia, pq na vdd não sei kkk

    Está de parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Gostei desse poema! Ele se afasta da lírica e volta para a tradição narrativa da poesia (que começa na poesia oral que certamente originou a poesia épica grega, passando pelo cordel). Pelos títulos que pude ver (vou explorar o blog agora que o conheci!), não é uma experiência única, mas um estilo -- a narrativa talvez predomine em sua poesia.
    Muito boa a oportunidade de conhecer seu blog!
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  16. Nossa, Roberto, que poesia profunda e visceral. A gente se pega pensando nela por um grande tempo depois da leitura. Gostei demais.

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito da reflexão que fizeste com este poema.
    E acredito que com sua escrita daria um belo conto.
    Gosto muito desta mistura da linguagem regional falada quando posta em textos, traz o leitor mais para perto do personagem. Me sinto acolhida.
    Beijos
    Mãe,tô escrevendo

    ResponderExcluir
  18. Maravilhosos os versos, é uma história magnífica da Natalina, ela é uma mulher forte, valente, gostei de conhecer, abraços.

    ResponderExcluir
  19. Roberto e suas poesias originais e contemporâneas. Quem sabe uma delas não vire música um dia ? Abração.

    ResponderExcluir
  20. É praticamente um faroeste caboclo feminino.
    Adorei!

    ResponderExcluir
  21. Que linda Poesia, um pouco triste, mas retrata um cenário bem conhecido por mim. Sou nordestina.
    Parabéns pelo talento.

    http://www.lifeenthusiastblog.com/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!