POESIA: Cacareco. - Roberto Camilotti, blog de literatura

28 de abril de 2017

POESIA: Cacareco.

imagens de embrulho de presente e lembrancinhas

Cacareco.
Prego.
Treco.
Martelo.
Nunca, um marreco!
Porque marreco é parecido com gente
mas não é treco.
E nada tem de cacareco.

Cacareco é coisa que não serve mais,
é coisa deixada de canto, escanteada para trás.
Não pode ser referida igual gente.
Gente fala, pensa, come e dorme!
Gente pode ser tudo.
Tudo, menos o nada/tudo de um cacareco!

8 comentários:

  1. Gostei da poesia e das rimas! Marreco e gente não são cacarecos!! Muito legal mesmo!
    Parabéns pela escrita criativa!!
    Abraço,
    Cidália.

    ResponderExcluir
  2. Muito original sua poesia. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Sua poesia é bem original, e as rimas são bem construídas. Parabéns pela criatividade!

    ResponderExcluir
  4. Ai, que poesia divertida! Não nego que me peguei sorrindo ao ler. Achei muito criativa e me remeteu aos grandes poetas antigos rs Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Engraçado! rsrs... e boa a analogia também. Me lembrou a literatura infantil de um poeta que conheço. Abraços

    ResponderExcluir

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho, no entanto, não poderei respondê-las pela falta de tempo.

Quer conversar comigo?
Me procura nas minhas redes sociais.

Obrigado desde já!
Volte sempre!