POESIA: O Estrepe.


Doeu!
E doeu muito mesmo!

Estrepe fincado no dedo do meio.
No meio da ponta do dedo, cantinho esquerdo!
Pontinha do dedo, lá perto da unha; ponta do dedo do meio!

Estrepe maldito do pau da vassoura.
Pequeno e pontudo, ponteiro!
Coisa simples, tormento.

Vejo:
Praguejo:
E esbravejo:
Que merda de estrepe!

Comentários