POESIA: A Nacionalidade da Matemática.


De onde ela veio?
De que povo nasceu a Matemática?
Sobreviveu aos milênios!
Compatriota de Arquimedes? De Pitágoras!

Originou-se na primeira das dinastias imperiais da China.
Certamente, a Matemática, ciência imortal!
Reconhecidamente egípcia e piedosa dos escravos, fez por onde ser eterna ao levantar as primeiras pirâmides dos primeiros faraós.
Ciência exata: desde o começo, originária e plural!

É africana aldeã ao esboçar na cabeça a primeira equação, situando sua existência sobre a terra.
Um árabe missionário descobriu-se capaz de pensar além ao conferir seus cavalos antes de uma guerra.
É americana primitiva canibal no que mapeou as estrelas, apontando e contando uma por uma, ao redor da Lua.

O europeu antigo, da mais hostil das tribos germânicas da idade média, ao lembrar-se dos dias sem caça, viu-se capaz de somar, de contar quantos dias a mais aguentaria a fome.
Isso antes mesmo da primeira fala razoavelmente mais sofisticada!

Paro então de discorrer sobre a nacionalidade da Matemática e concluo em um delírio final:

Matemática, acontecimento tão importante e vital que nunca tivesse tido somente uma nacionalidade. Sempre fora do mundo para o mundo!
Tão fisiológica que, talvez, aconteceu-se inventada nos sonhos dos deuses, antes da Primeira Mulher, rascunhada no barro que moldou o Primeiro Homem.

Comentários

  1. Nunca imaginei que gostaria de algo relacionado a matemática hahahahah adorei, ficou ótimo!
    By: Evy | atravesdaescrita.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!