POESIA: Calendário.


Por horas, dias, semanas,
por meses perdidos no calendário;
e mesmo que voltasse o tempo,
ainda me faltariam palavras.

O calendário apressado, corrente,
não me faz capaz de superar o fim ilusório.
Um rompimento.
Um não sincero e gentil, ainda assim, um não.
E que amanhã eu perceba que ninguém perde o que nunca teve!

Comentários

  1. Ninguém perde o que nunca teve, mas perde a ilusão de ter possuído. (E isso dói.)

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, Camilotti! Achei muito linda e rica!

    "...e mesmo que voltasse o tempo,
    me faltariam palavras..."

    Eu sou louca por poesias e por esse dom lindo que elas possuem de elevar a nossa alma!
    A brevidade dos versos não deixou de ter muita profundidade e beleza.
    Fiquei encantada com o que ela revelou. Me identifiquei demais!

    "E que amanhã eu perceba que ninguém perde o que nunca teve!"

    MAGNÍFICO! Adorei!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Sabida, fico feliz que tenha gostado!

      Excluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!