POESIA: Corpo Estranho.


Uma parte de mim não reconhece a outra.
A outra da outra não me vê como um.
Uma parte em mim, duas partes de um!

Um jovem em perigo,
doente de amor.
Bela moça reconhece,
é Catarina!
A filha do promotor?

Uma parte de mim desapercebe-se da proeza.
A outra da outra só enxerga - e vive! - tristeza.

Comentários