POESIA: Outono de Oitenta.


Mil novecentos e oitenta:
Canhões e soldados nas ruas!

Tempos difíceis: dias e noites!
O país: o da Terra do Urucum.
O ano de mil novecentos e oitenta.
Sete meses para oitenta e um!

Era um outono de oitenta.
O povo tomava as ruas.
Ano de mil novecentos e oitenta!
Tempos de dor, de bravuras e de lutas!

1.980: À luta continua!

Comentários

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!