POESIA: Casa Azul em Construção.


Uma certa casa azul.
Um jardim verde e florido nos fundos.
Em obra, em construção.
Aberta às moscas que buscam comida,
água limpa, sobrevoar o pão.
Muito antes, foram-se os indivíduos que nela moravam,
os anciãos.

E dois amigos de mesma língua.
E três irmãos de diferentes sangues.
Janelas, telhado e paredes invisíveis.
É a Casa do Infinito, eternamente em construção.

Uma certa casa azul do sim e do não.
Erguida em poucos meses, agora pintada de amarelo.
Jardim, no fim da obra, acimentado, já sem flores ou vida.
Rudemente fechada para os vizinhos, os mais próximos.
Amuralhada!
No entanto, aberta para os viajantes, os estrangeiros amigos.
Para as coisas do coração!

Comentários

  1. Parabéns pela escrita criativa, gostei muito do poema, inspirou-me 😊😊

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Caro leitor(a), seu comentário é importante por aqui. Diga-me suas opiniões ou impressões sobre a postagem que acabou de ler que as lerei com carinho.

Obrigado desde já!
Volte sempre!